Apostando na tradição dos gelatos italianos

Brasileiros descendentes de italianos, os empreendedores Fabiano Bianchi e Henrique Zarpellon procuraram o StudioIno com um nome e uma ideia. O projeto deles era abrir uma gelateria que valorizasse a forma de produzir e as tradições da Itália. Com a proposta inicial em mente, as equipes de arquitetura e design do escritório partiram para o desenvolvimento de uma proposta unindo as duas áreas em torno do conceito. 

O nome da gelateria foi escolhido pelos proprietários: Gigli D’Oro. O termo quer dizer “lírios de ouro” e remete às flores na bandeira de Florença, capital da Toscana. Emmanuel Melo, diretor de design do StudioIno, diz que é nessa região onde se presume que o gelato tenha sido inventado. 

Consultoria completa: arquitetura e design para foodservice

Inspirados pelo nome e pela premissa do negócio, o time de design do StudioIno desenvolveu o branding da gelateria. O trabalho de pesquisa foi realizado em 60 dias e se integra com as ideias para o projeto de arquitetura, que está em construção no momento. Essa união de especialidade é uma oferta de serviço diferenciada que o StudioIno traz para o mercado de consultoria de foodservice. O negócio é pensando de forma global e o conceito da marca é trabalhado consistemente nas diferentes áreas do projeto.

Emmanuel Melo explica a integração de serviços, como foi realizada para a Gigli D’Oro. “A arquitetura é parte importante do branding e que articulada com os demais elementos da comunicação: logo, atmosfera do interior, produtos… deverá comunicar os valores da marca. Um gelato autêntico em um ambiente moderno, mas com referências italianas da Toscana”.

Branding para a gelateria

Essa mistura entre elementos modernos e aqueles tradicionais da Toscana dá o norte para o branding que o StudioIno criou para a marca. As cores em destaque são o verde escuro, o dourado e o vermelho. Elas foram selecionadas pela observação dos empresários em várias visitas à vários estabelecimentos de alimentação da Itália. A equipe de design aumento essa paleta acrescentando tons marrons, branco e preto. O lírio, central para o conceito do empreendimento, foi estilizado para compor a marca e permeia a comunicação visual. O branding traduziu o conceito da Gigli D’Oro em vários pontos de contato com o cliente, para criar uma experiência completa. A comunicação está na fachada, nos copinhos, nos uniformes dos funcionários, entre outros.

 

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

 

Modelo de negócio inovador muda a forma de pensar o delivery de comida

Três vertentes do setor de foodservice se juntaram para montar um negócio diferenciado e que transforma a maneira como as empresas entendem o delivery, uma das áreas que mais crescem e lucram no setor. Em uma parceria do Uber Eats com o Hub Foodservice, somada a diferentes restaurantes, foi criado o Hub CK, uma cloud kitchen para produção de refeições para entrega em São Paulo.

O Hub CK, como o nome já indica, é um conjunto de cozinhas, 10 no total. Elas foram projetadas pelo StudioIno e estão equipadas especificamente para atender as demandas de delivery. A cloud kitchen fica em Perdizes, São Paulo, e emprega 50 funcionários diretamente. Por mês, são produzidas em torno de 30 mil refeições no espaço.

A inovação do modelo de operação está na união de forças que tornou o projeto possível. O Uber Eats, aplicativo da Uber que conecta usuários aos restaurantes da cidade, se uniu a outros parceiros para apoiar a abertura da central de produção dedicada exclusivamente para o delivery, com marcas próprias, estrutura especializada, e contando com expertise de logística e marketing.

 

Comida boa, gestão e logística

Quais são os pratos mais pedidos na zona oeste de São Paulo? Os estabelecimentos que produzem nas cozinhas do Hub CK foram escolhidas de acordo com a demanda do público. Pizza, hambúrguer, poke e comidas vegetarianas estão na lista. Os “restaurantes de entrega” operam no Hub CK e existem virtualmente no aplicativo do Uber Eats. Esse formato dá agilidade à empresa, que pode abrir, fechar ou ajustar as marcas de acordo com os resultados apresentados e à resposta dos consumidores.

O Hub FS é uma cozinha colaborativa e espaço de coworking para negócios de foodservice. A empresa forneceu ao projeto o knowhow em administração de estruturas desse tipo. Os sócios do Hub FS são os responsáveis pela gestão do Hub CK, cuidando da manutenção do prédio e de todos os aspectos administrativos do grupo de cozinhas. À frente também do StudioIno, escritório de arquitetura e design para foodservice, Diris Petribu e Emmanuel Melo têm mais de 40 anos de experiência no setor de alimentação.

O Uber Eats idealizou a cozinha satélite e fornece a estrutura de tecnologia necessária para a logística das entregas. O aplicativo é também o marketplace dos restaurantes, com ações de divulgação, promoções e contato com os usuário final.

“A Uber é uma empresa de tecnologia determinada a mudar a forma como encaramos a mobilidade nas cidades. E a entrega de comida é uma parte importante disso. Além disso, especificamente no Brasil, desde que o Uber Eats chegou, vimos o quanto os brasileiros ansiavam por mais opções para receber em casa comida de seu restaurante favorito”, comenta Thais Azevedo, gerente de marketing do Uber Eats.

A oportunidade de ampliar as vantagens do Uber Eats para os usuários por meio das cozinhas coletivas é muito importante. Por isso, a empresa está sempre pensando em novas formas de tornar realidade os desejos dos usuários, como entregas cada vez mais rápidas e cômodas, com mesma confiabilidade da Uber. A maior força do Uber Eats é a expertise em tecnologia, com especialidade no setor de logística.

De acordo com Thais Azevedo, ter o Hub CK para formar essa parceria com os restaurantes ajuda a ampliar as entregas e estimula as culinárias da região, fortalecendo esse movimento do delivery, que tende a crescer mais com as cozinhas coletivas. Isso só é possível porque o sistema do Eats foi criado para dar transparência ao processo de produção e entrega da refeição, de modo que o usuário esteja permanentemente informado do progresso tanto do restaurante quanto do entregador que lhe estão prestando serviço, aliviando a sua ansiedade. 

Emmanuel Melo, diretor do StudioIno e do Hub CK comenta que a estratégia do Uber Eats é inovadora em diferentes sentidos e que atende bem a um mercado consumidor ávido por comida boa, entrega simples e serviço mais seguro. Para ele, o sucesso das soluções é a soma da mobilidade + atenção ao usuário + ferramentas digitais, e funciona porque o Uber Eats soube aproveitar o melhor das possibilidade online e offline.

Mais novidades

Um centro de apoio para os entregadores parceiros será inaugurado, em breve, ao lado do Hub CK. O local contará com estruturas como sala de jogos, local de descanso, banheiros, copa e internet. Além disso, o haverá espaço para estacionamento das bicicletas e motos usadas nas entregas. O projeto de arquitetura para o centro também foi desenvolvido pelo StudioIno.

 

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Já experimentou os produtos da Oficina de Sorvete de Heliópolis?

Gabriel Dimenstein não se acanha na hora de falar sobre os produtos da OSH. “É um sorvete que não deixa a dever a nenhum outro das grandes marcas”. A sigla quer dizer Oficina de Sorvete de Heliópolis, mas o nome também imita a interjeição “oxe”. A iniciativa capitaneada por Dimenstein une, com essa pegada até um pouco lúdica, gastronomia e empreendedorismo social.

A Oficina de Sorvete de Heliópolis é um projeto que ensina jovens daquela comunidade a fabricarem e venderem a sobremesa gelada. A produção é voltada para um produto de alta qualidade, os sorvetes e picolés são feitos todos os dias com ingredientes frescos e naturais, sem a utilização de pó ou massa artificiais. Os itens utilizados na fabricação são fornecidos por pequenos produtores locais e os sorvetes não recebem adição de saborizantes.

“O sorvete é uma coisa muito simpática, mexe com a memória afetiva das pessoas, é algo que mundo gosta, desde o adulto até a criança. Então a gente começou a capacitar jovens de lá para eles aprenderem a fazer o sorvete e, a partir daí, eles venderem o sorvete em alguns pontos da cidade e já começarem a levantar um pouco de renda para eles, para a comunidade”, conta Dimenstein.

União de gastronomia, design, arquitetura e empreendedorismo social 

A OSH é resultado da rede de parcerias que Gabriel Dimenstein, sócio do site Catraca Livre, conseguiu construir ao redor da ideia. “A demanda inicial nasceu do desemprego. Heliópolis é uma das maiores comunidades do Brasil onde moram mais de 250 mil pessoas, tem uma taxa de desemprego enorme. E lá dentro, tem a [ONG] Unas, uma entidade muito séria que trabalha em vários segmentos, com projetos muito importantes para a comunidade”, conta.

Por “um desses acasos da vida”, Dimenstein conheceu os cursos de produção de sorvete gourmet de Francisco Sant’Ana, na Escola Sorvete. A ideia de agregar uma capacitação desse tipo às atividades da Unas veio logo em seguida. 

Douglas Cavalcante foi um dos jovens participantes das atividades da ONG, fundada em 1978, e hoje trabalha na instituição como o responsável pela comunicação. Ele explica que, atualmente, a Unas tem 51 projetos e atende 10 mil pessoas. Agregando as ações da OSH, Cavalcante vê três pontos de contato com a comunidade: geração de renda, discussão sobre alimentação saudável, e fortalecimento da produção econômica do território. 

Os produtos OSH foram lançados no mercado, oficialmente, no dia 1° de maio deste ano, com o primeiro ponto de venda sendo estabelecido no “Beco do Batman”, na Vila Madalena. A data do início das operações, o Dia do Trabalho, claro, não foi uma coincidência. “Escolhemos esse dia para a inauguração como uma forma de levantar o debate sobre os 13 milhões de desempregados que temos no Brasil atualmente, e pensarmos em alternativas para combatermos isso. Para nós, o empreendedorismo é a melhor delas”, explica Maria Luiza Rocha, sócia da Escola Sorvete 

O StudioIno faz parte da rede de parcerias, sendo responsável pelo projeto da fábrica / laboratório / escola. O escritório também desenvolveu o conceito e o branding da OSH, traduzindo a ideia da marca para a comunicação visual dos carrinhos, embalagens, uniformes e copinhos. 

A Escola Sorvete é o braço de gastronomia, oferecendo expertise para a iniciativa e capacitando os jovens. A fabricante de equipamentos de cozinha industrial Alphagel entrou para o time doando máquinas de produção de sorvete e de picolés. Edgard Barki, professor da FGV, também faz parte da iniciativa. Ele é especialista em empreendedorismo periférico e está auxiliando a estruturação da OSH, elaborando o plano de negócios da iniciativa. Por fim, Dimenstein conta que também costurou parceiras com diferentes localidades para a comercialização dos produtos OSH. Os sorvetes serão vendidos em um ponto na Avenida Paulista e em parques da cidade, como o Villa-Lobos e o Água Branca. 

“Na real, foi um sonho que acabou sendo compartilhado por muitas pessoas”, diz Dimenstein.

Agora,  o objetivo é finalizar a construção da fábrica própria – por enquanto, os produtos estão sendo feitos na Escola Sorvete -, e empregar mais pessoas na produção e venda. Esse trabalho será, mais uma vez, realizado por meio de parcerias. Douglas Cavalcanti conta que o espaço já está garantido, um imóvel ao lado da sede da Unas. Agora ele e outros funcionários da ONG trabalham para angariar fundos e costurar apoios. A expectativa dele é ter a reforma do local finalizada no ano que vem. 

O melhor sorvete do mundo 

O impulso inicial para a criação da OSH foi a vontade de mitigar o desemprego na comunidade. O foco do negócio da OSH, entretanto, é aquele que Gabriel Dimenstein destaca com tanto orgulho: comercializar um produto de qualidade superior. “Nossa missão é vender o melhor sorvete”, resume.  

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Mercado de delivery cresce no Brasil

A Folha de S.Paulo fez uma longa reportagem mostrando as oportunidades e desafios do mercado de delivery, que está em pleno crescimento no Brasil. Diris Petribú, diretora de arquitetura do StudioIno, participou da matéria conversando com o jornal sobre o Hub CK, a central de cozinhas montada para atender negócios de entrega de alimento por aplicativo. O Hub CK é uma iniciativa conjunta do StudioIno, do Hub Foodservice e da Uber Eats. O jornal mostra também o ponto de vista de outros empresários, restaurantes, entregadores e organizações do setor, para contar a história desse setor em expansão.

O texto, assinado pelas repórteres Júlia Moura e Marina Estarque, começa contextualizando o cenário. “O crescimento dos serviços de entrega de alimentos por aplicativos tem fomentado novos modelos de negócio como coworking de cozinha, restaurantes digitais e centros de distribuição”, diz a reportagem. Ouvido pelo jornal, o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) de São Paulo, Percival Maricato, diz que o delivery é uma tendência mundial. “É um segmento que cresce exponencialmente”

A matéria conta um pouco do início do Hub CK: 

Aproveitando a expansão do setor no Brasil, o Uber Eats procurou a arquiteta Diris Petribú, dona de um coworking de cozinhas voltado para empreendedores, para criar um espaço só para delivery.

A empresária, reuniu um grupo de investidores, alugou um terreno em Perdizes, na zona oeste de São Paulo e inaugurou, em maio, o Hub CK – abreviação de cloud kitchen, que são cozinhas voltadas apenas para delivery, também conhecidas como restaurantes virtuais ou dark kitchens.

“O Uber Eats me envia uma seleção de empresas, e eu escolho a melhor proposta. O bom é que eu já tenho clientes garantidos”. 

O Hub oferece todos os equipamentos e móveis para as cozinhas, que podem ser personalizados de acordo com as necessidades do cliente, e manutenção de equipamentos, limpeza e segurança. Segundo Petribu, cada restaurante do Hub tem seu próprio alvará sanitário.

 

Clique aqui para ler o texto completo.  

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Da pesquisa à execução: tudo sobre arquitetura de restaurantes 

Marcelo Politi comanda o canal Na Cozinha do Politi e o caminho dele já se cruzou com o do StudioIno várias vezes, seja em eventos ou em projetos. A plataforma de Politi, com conteúdo no YouTube, Instagram e site, é repleta de informações sobre negócios de alimentação. Esta semana, a Diris Petribú, diretora de arquitetura do StudioIno, foi ao Na Cozinha falar sobre a experiência dela no setor. A conversa foi tão boa que passou por todo os processos de desenvolvimento de um empreendimento em foodservice. 

Diris começou falando sobre as etapas iniciais de um projeto. É preciso pesquisar e pensar o conceito do restaurante. Ela explica que, muitas vezes, cada ponto é decidido separadamente, cardápio, ambientação, serviço. Entretanto, o segredo está na integração. A entrevista continua com  Diris segue discutindo as etapas que acontecem depois da determinação do conceito: planejamento, briefing, escolha do ponto.

Entrevista parte 1:

Com tanto assunto, o papo acabou sendo dividido em duas etapas. Na segunda parte da conversa, Diris entra nas especificações da arquitetura especializada em empreendimentos de alimentação. Ela fala sobre equipamentos, sobre a evolução da tecnologias e as padronizações dessa indústria. 

Entrevista parte 2: 

 

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

KFC amplia atuação no Brasil com unidades pequenas distribuídas em diferentes estados

Cliente do StudioIno desde 2017, a rede KFC vem crescendo no Brasil com a proposta de abrir unidades menores, mas bem espalhadas. Em entrevista à revista Exame, o diretor-geral da marca no país, Ildefonso de Castro Deus, explica o novo formato. “Ao invés de abrir grandes restaurantes, a rede está investindo em espaços menores em shopping centers, com até 65 metros quadrados”. 

Desde o início do contrato, o StudioIno já projetou 31 unidades para a franquia americana de frango frito, entre pontos novos e retrofits. A mais recente foi inaugurada, esta semana, no CenterVale Shopping, em São José dos Campos (SP).  A KFC está presente em Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Ceará e Pernambuco.

 

Batata inglesa investe em atendimento digital

A rede Batata Inglesa está, gradualmente, implementando um novo layout nas unidades da marca. A informação é da International Meal Company (IMC), detentora do nome. O StudioIno está trabalhando com a cadeia de restaurantes para desenvolver o projeto de arquitetura e ambientação das lojas. A mais recente inauguração dentro do novo modelo foi realizada dia 23 de julho, no Shopping Nova América. “Essa implementação tecnológica está sendo realizada de forma gradual nas unidades da rede no Rio de Janeiro sendo a quarta loja dentro da nova proposta”, explicou a IMC. O StudioIno também projetou a unidade da Batata Inglesa no Shopping Boulevard, também no Rio de Janeiro. Atualmente, a marca conta com 15 lojas no Rio. 

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Consultores brasileiros aprendem sobre a tecnologia de speed ovens

Parte da responsabilidade de ser um membro da FCSI é buscar conhecimento continuado na área de atuação. Foi isso que 25 consultores da FCSI no Brasil fizeram no último dia 18 de julho, participando de mais uma capacitação realizada pela fabricante Prática Klimaquip.

Durante o curso, consultores aprenderam sobre as tecnologias mais modernas de “speed ovens” como as aplicações do equipamento, como programá-lo, e os procedimentos de limpeza e manutenção. O treinamento também mostrou informações sobre os tamanhos e instalações de speed ovens, assim como a montagem com exaustores ventless. 

A Prática é a primeira empresa do Brasil, que como “corporate member”, oferece cursos técnico regulares aos consultores da FCSI no país.

Emmanuel Melo, diretor de design do StudioIno, aprendeu sobre os detalhes técnicos do fornos durante a aula. “Pude compreender em profundidade a tecnologia embarcada nessa categoria de produto, entendi como as diferentes fontes de calor são produzidas no equipamento e como se combinam para preparar os alimentos com qualidade e rapidez”.

Os Speed Ovens oferecem novos caminhos inovadores para o foodservice. Os equipamentos unem até três diferentes processos de transmissão de calor: micro ondas, ar impingido e radiação, possibilitando a terminação e até mesmo a preparação completa de pratos em segundos. 

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Grab and go é tendência no foodservice

O gerente de projetos do StudioIno João Carlos Faias e a diretora da Bullguer Renata Teixeira foram entrevistados no canal da Fispal durante a realização da feira. Os dois falaram sobre “grab and go” com tendência no foodservice, sobre o que as duas empresas estavam achando do evento e sobre as novidades da hamburgueira.

A entrevista completa, conduzida pelo apresentador Magno Nunes, está disponível no YouTube da Fispal.

https://www.youtube.com/watch?v=J4pAyO87taY&feature=youtu.be

Durante a conversa, o arquiteto falou sobre as vantagens do grab and go. Entre elas, Faias citou a flexibilidade do formato e a facilidade para o estabelecimento medir a “saída” dos produtos, identificando os itens mais ou menos procurados. Ele também enumerou alguns dos elementos necessários para um grab and go eficiente como, por exemplo, embalagem atrativa e armazenamento adequado em termos de temperatura.

João Carlos e Renata Teixeira explicaram mais sobre grab and go em uma palestra sobre esse tema no Gestão à Mesa, a programação educativa da Fispal.

A Fispal Food Service é umas das mais importantes feiras do setor no Brasil. Este ano, o evento foi realizado no Expo Center Norte, de 11 a 14 de junho.

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Fispal e FCSI oferecem consultorias gratuitas para profissionais de foodservice

Empreendedores do foodservice terão acesso a sessões de consultoria gratuitas durante a Fispal, uma das maiores feiras nacionais do setor de alimentação. A engenheira Isamar Magalhães e o gerente de projetos João Carlos Faias, ambos do StudioIno, estarão entre os profissionais prestando o serviço. O evento será realizado de 11 a 14 de junho, no Expo Center Norte, em São Paulo.

A iniciativa, chamada Fale com um Especialista, é uma parceria da Fispal com a Sociedade Internacional de Consultores de Foodservice (a FCSI, na sigla em inglês). Isamar e João Carlos são integrantes da FCSI como Associate Members. A engenheira estará prestando os atendimentos no dia 11 de junho, à tarde. Já João Carlos, estará no estande no dia 13, atendendo durante a tarde e a noite. Diversos participantes da FCSI no Brasil também estarão na feira atendendo os interessados.

Este é o terceiro ano da ação. Segundo a Fispal, a edição do ano passado foi um sucesso, tendo ajudado mais de 40 empresas de 14 estados brasileiros.

 

Serviço:

Fispal Food Service

11 – 13 junho das 13h às 21h | 14 de junho das 13h às 20h

Expo Center Norte

Fale com um Especialista

11 a 14 de Junho de 2019 na Fispal Food Service

Estande A 176

 

(Imagens: Fispal)