Equipotel oferece programação de palestras gratuitas com membros brasileiros da FCSI

Durante a Equipotel, o pavilhão de exposições contará com espaço exclusivo para troca de ideias com uma extensa programação de palestras. Todas as conversas são gratuitas para os participantes da feira, que será realizada de 11 a 14 de setembro, no São Paulo Expo, o mais novo centro de convenções da capital paulista.

Os diretores do StudioIno e membros da Foodservice Consultants Society Internacional (FCSI) Diris Petribú e Emmanuel Melo serão alguns dos especialistas que estarão palestrando na Equipotel. Os painéis fazem parte da curadoria da FCSI para a Equipotel. Durante toda a feira, no espaço Café do Saber, profissionais associados à FCSI vão conversar com o público sobre diferentes temas. As palestras serão sempre às 16h30. O espaço fica na rua N22 do pavilhão.

Diris irá falar sobre como preparar o negócio de foodservice para a mobilidade, explorando o crescimento dos serviços de delivery e “para viagem”. A arquiteta discutirá o tema junto com Nathália Sifuentes, consultora de foodservice e membro sênior da FCSI. A conversa será no dia 14 de setembro, às 16h30.

A palestra de Emmanuel Melo será sobre a importância do conceito para um empreendimento de foodservice. No bate-papo, ele vai detalhar como a história do estabelecimento e a experiência sensorial do consumidor influencia a escolha do cliente na hora de decidir onde comer fora. A conversa será dividida com a engenheira de alimentos Renata Shimizu e o nutricionista e consultor José Aurélio Lopes, ambos também membros da FCSI. A explanação será no dia 11 de setembro, às 16h30.

Sobre a Equipotel

Está é a 55ª edição deste evento que há muito se estabeleceu como referência para toda a cadeia de hospitalidade e serviços alimentares na América Latina. Este ano, serão 200 expositores nacionais e internacionais distribuídos pelos 25 mil m² do espaço de exposição. A programação se completa com uma séries de palestras gratuitas.

 

Serviço:

Equipotel

Data: 11 a 14 de setembro de 2017

Horário: Segunda-feira à quinta-feira das 13h às 21h

Local: São Paulo Expo – São Paulo/SP

 

Palestra: A importância do conceito e relevância para o consumidor e o sucesso no Foodservice

Data: 11 de setembro de 2017

Horário: 16h30

Local: Rua N22 do pavilhão

 

Palestra: A importância de preparar seu negócio para a mobilidade

Data: 14 de setembro de 2017

Horário: 16h30

Local: Rua N22 do pavilhão

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Soluções para tornar a comida de aeroporto atrativa e prática

Mesmo os passageiros mais apressados podem escolher comidinhas rápidas, saudáveis e gostosas no corre corre entre um voo e outro. Pensando assim, o International Meal Company (IMC) chamou o StudioIno para desenvolver o design e arquitetura de estações de alimentação para aeroportos. O resultado foi o conceito do Grab n’ Fly, uma unidade de foodservice compacta, modular e pensada para as necessidades deste público.

O primeiro Grab n’ Fly, em operação no aeroporto de Guarulhos, foi entregue em dezembro de 2015. Hoje, a marca cresceu e já conta com mais quatro unidades. Duas funcionam atualmente no terminal de São Paulo, uma no aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, e a mais recente, no aeroporto de Brasília.

As inovações do projeto

A operação foi desenvolvida para ocupar pouco espaço e levar oferta de lanches rápidos para as áreas de circulação de passageiros. Para atender essa demanda, foram desenvolvidas soluções simples mas decisivas, explica o arquiteto João Carlos Faias, coordenador de projetos do StudioIno.

O conceito conta com sistema de auto serviço que torna a operação mais rápida. Expositores de bebidas, por exemplo, e gôndolas são abertas e voltadas para o cliente. A unidade foi pensada em módulos que possibilitam diferentes formações e assim, uma adequação maior para a necessidade do consumidor em cada local. É possível ter configuração em ilha, como um quiosque, em forma de “L” ou em “U”. A formação em linha, por sua vez, facilita a venda e a circulação pelos corredores. Os diversos formatos também permitem explorar da melhor forma possível a área de exposição dos produtos.

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Publicação americana vai mostrar inovações de projeto para restaurante brasileiro

O projeto de reconceituação do restaurante Viena coordenado pelo StudioIno foi selecionado para publicação da revista Project Showcase 2017, da Sociedade Internacional de Consultores de Foodservice, (FCSI, na sigla em inglês). O informativo é editado uma vez por ano e traz ações inovadoras realizadas pelos integrantes da FCSI em todo o mundo. Um grupo de editores recebem as submissões e escolhem apenas 12 para ser detalhadas no anuário. O projeto do StudioIno é o único da América Latina dentre os projetos de design de cozinha selecionados.

Por que o projeto Viena Delish é inovador

O International Meal Company – Imc, detentor da marca Viena, chamou o StudioIno com o desafio de renovar a rede de restaurantes que há 40 anos havia sido bem sucedida em São Paulo. A ideia era atrair nova clientela sem perder de vistas os frequentadores fiéis. Para atender a demanda, o StudioIno coordenou os trabalhos de uma equipe multidisciplinar.

Na primeira fase do projeto, profissionais convidados, junto com especialistas do StudioIno e do cliente, fizeram workshops de reenquadramento e cocriação para pensar um novo conceito para o restaurante. Com a ideia fechada em mãos, foi hora de elaborar os novos menus, projeto da cozinha e do salão, ambientação e comunicação visual.

Todo o trabalho foi realizado em quatro meses de pesquisas, projetos e mais dois de obras. A unidade reformulada do Viena Delish no Shopping Iguatemi foi inaugurada com uma abordagem diferenciada. O local passou a ser um food Market, com diferentes opções de espaços, serviços e menu. Agora, ela servirá de modelo para os outros estabelecimentos da marca no Brasil.

 Saiba mais sobre o Viana Delish

Como o trabalho para o Viena Delish foi selecionado

Para participar da publicação é preciso submeter uma carta de intenção e responder um questionário simples. Caso passe por essa etapa, os profissionais interessados devem preencher um formulário bem mais longo defendendo o projeto e dando todas as informações técnicas como fornecedores, equipamentos e soluções. Além disso, é preciso enviar imagens, layouts e uma lista minuciosa dos itens do projeto.

Este ano, foram selecionadas 12 ações de design e arquitetura para foodservice. Todos são norte-americanos, com exceção do realizado pelo StudioIno. Outros dois projetos de gestão e serviços também estarão na publicação e um deles é brasileiro. É o trabalho para Esquina Grill, conduzido por profissionais da Mapa Assessoria.

A revista Project Showcase é produzida desde 2013 e é distribuída para 10 mil leitores. A edição deste ano será publicada em setembro.

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Como a experiência do consumidor faz toda a diferença em um negócio de foodservice

Quando uma família e um grupo de amigos decide jantar fora, alguns fatores os farão ficar felizes ou chateados com o passeio. A qualidade da comida é essencial, mas outros elementos também contribuem e é a soma deles que se chama de experiência do consumidor.

Que fatores são esses? Como um estabelecimento de foodservice pode administrá-los para buscar uma experiência positiva?

Essas e outras questões foram discutidas durante a conversa que Emmanuel Melo, diretor do StudioIno, teve com o site Mercado Food Service.

Acesse todo o bate-papo aqui:

 

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Especialistas falam sobre as novidades e desafios do foodservice em novo site

O setor de alimentação engloba diferentes áreas e é importante para a economia brasileira, gerando renda, serviços e empregos. Por isso mesmo, é um segmento ágil que está sempre se movimentando para superar desafios e se renovar. Para acompanhar todas as essas novidades e discutir os principais temas, foi lançado o site Mercado Food Service.

A página é uma plataforma de comunicação no modelo de rede colaborativa cujo foco é tratar da idealização de projetos e empreendedorismo no setor de restaurantes. O Mercado Food Service reuniu renomados especialistas desta área. São profissionais procurados pelas grandes marcas de fast food, restaurantes comerciais, restaurantes de empresas, de hotelaria e até do setor hospitalar, que fazem dezenas de projetos novos a cada ano e estruturam e reestruturam estas operações. Estes especialistas vão contribuir, periodicamente, para a produção de conteúdo para a plataforma, e para a geração de diálogo sobre temas importantes para o setor.

O site debate os tópicos em programas de vídeo, aproveitando o repertório dos especialistas, revelando um pouco mais dos critérios que levam ao sucesso ou ao fracasso, seja da parte de arquitetura, nutrição, gestão de pessoas ou mesmo administrativo e financeira. O Mercado Food Service quer incentivar a interatividade com o público e todos os consultores estão disponíveis online para tirar dúvidas e dar orientações.

O mercado – Os serviços de alimentação é um mercado que prossegue crescendo acima dos índices de outros segmentos econômicos e tem sido bastante procurado pelos novos empreendedores e fruto de investimento mesmo de quem já está no setor. No último ano, segundo dados do Instituto Food Service, este segmento cresceu 7% mesmo diante da chamada crise brasileira.

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

Plataforma destaca projeto para o Pizza Makers

O site Mercado Food Service conversou com o designer e diretor do StudioIno Emmanuel Melo para entender os desafios e soluções do projeto para o restaurante PizzaMakers, inaugurado recentemente.

“No final do ano passado, a gente recebeu a visita de um jovem empreendedor, o Greg Machado. Muito jovem, mas com muita energia, ele tinha uma ideia na cabeça: montar um negócio de pizza diferente dos convencionais”, explica Melo. “O conceito básico seria uma pizzaria onde o consumidor monta a sua própria pizza”.

A ideia era proporcionar um momento divertido ao cliente e, ao mesmo tempo, servir boa comida. “Você escolhe o tipo de massa, você escolhe o molho que vai utilizar, escolhe os ingredientes, a proteína, enfim, e a pizza é assada em dois minutos na frente do cliente. Seria juntar um pouquinho o entretenimento, a experiência do consumidor, e um produto de qualidade, a uma preferência nacional que é a pizza”, diz.

Os times de arquitetura e design do StudioIno trabalharam em conjunto e, ouvindo as necessidades do cliente para desenvolver o projeto. “O nosso desafio era tornar isso realidade. O nosso trabalho como consultores e designers de foodservice era transformar a ideia de Greg em um negócio”, conta Melo.

O próprio conceito, que mistura produto de qualidade, com serviço rápido e preparação na frente do cliente, impôs a necessidade uma solução eficiente de equipamento. Mais detalhes sobre essa escolha aqui: http://www.studioino.com/design/como-o-equipamento-correto-faz-toda-diferenca-em-um-negocio-de-foodservice/

Os resultados do projeto podem ser conferidos no vídeo abaixo:

“Case” da Pizza Makers é relatado por Emmanuel Melo

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

A reinvenção do restaurante self service

Como o StudioIno ajudou a IMC a reinventar o conceito de autosserviço para o tradicional Viena Express.

O Viena Express, uma rede de restaurantes de autosserviço pertencente ao International Meal Company (IMC), já era um sucesso, com cerca de 100 restaurante em operação em várias cidades brasileiras, quando os seus gestores perceberam os sinais de que havia chegado a hora de mudar.

A entrada no mercado da chamada geração Y, pessoas nascidas a partir de 1980, estava alterando a forma e os hábitos de consumo de alimentos.

O desafio
No início de 2016, fomos procurados por executivos da IMC, eles traziam muitos dados e um desafio para compartilhar: Como preparar o Viena Express para as novas gerações e, ao mesmo tempo, aumentar as vendas de um negócio consolidado?

Para enfrentar o desafio proposto pelos dirigentes da IMC, unimos nossa equipe de especialistas em projetos de foodservice, com profissionais de diversas áreas do próprio IMC.

Design Thinking
Utilizamos a abordagem do Design Thinking: usuário no centro do projeto, equipe multidisciplinar, observação, compreensão, empatia, cocriação e experimentação.

Após 30 dias de imersão profunda no desafio, com pesquisas junto aos consumidores do restaurante e realização de dois workshops com as equipes para reenquadramento e cocriação, foi esboçado o novo conceito para o Viena Express e um cardápio de ideias para atender melhor às necessidades e desejos dos usuários. Nessa fase do projeto contamos com a DesignMuda, que auxiliou nas pesquisas, planejou e facilitou os workshops.

Nos 4 meses seguintes, o projeto foi detalhado: layout, fluxos, equipamentos, arquitetura, projeto de design para os novos expositores, projetos complementares, desenhos para marcenaria, contratação de fornecedores e aprovação do projeto junto à administração do shopping.

A obra, reforma da loja existente no Shopping Iguatemi em São Paulo, foi executada no tempo recorde de 12 dias pela AS6 Construções.

Os novos expositores foram fabricados pela Ingecold que, em 30 dias, apresentou protótipos para a validação da equipe de design industrial do StudioIno e do pessoal de produto e qualidade da IMC.

No todo, o processo foi realizado em 5 meses e o restaurante piloto com o novo conceito foi inaugurado em junho de 2016.

A reinvenção do restaurante self service?
Certamente uma expressão exagerada mas, o novo Viena Express trouxe inovações em diversos aspectos para o tradicional sistema de autosserviço de alimentação.

O princípio do serviço ainda é o mesmo. O cliente escolhe os alimentos de preferência, monta seu próprio prato de forma rápida e paga pelo peso dos alimentos escolhidos. Entretanto, podemos relacionar uma série de inovações apresentadas no projeto:

1. Múltiplos fluxos para o cliente. Pegar uma salada pronta ou uma bebida e ir direto no caixa? Ou preparar uma refeição completa com grelhados especiais? As duas opções podem ser feitas sem que o cliente tenha que seguir uma fila única.

2. Novos produtos e embalagens. O pessoal de produto da IMC reformulou o cardápio. Os pratos ficaram mais saborosos e práticos. E as embalagens, muito mais comunicativas.

3. Protagonismos dos alimentos no ambiente. Novas estratégias para exposição dos alimentos no ambiente de consumo permitiram a verticalização dos expositores para melhor visualização. Claro, sem descuidar das regras da segurança alimentar.

4. Grab & Go. Uso de refrigeradores expositores verticais abertos para facilitar o acesso dos clientes aos alimentos embalados. Isso já na entrada do restaurante.

5. Novos expositores para os alimentos. Saladas, pratos quentes e sobremesas estão agora em inovadores expositores construídos em vidro especial e desenhados especificamente para o restaurante. Esses expositores permitem melhor visualização e mais fácil acesso, além de garantir temperaturas seguras para os alimentos.

6. Grelhados em revolucionário forno a carvão. Pela primeira vez no Brasil, foi utilizado em um self service os novos fornos a carvão. Esses fornos, fabricados na Europa e importados pela Intellikit para o Viena, dão aos pratos os sabores típicos do churrasco com rapidez e eficiência energética.

7. Pizza em 2 minutos. Pizzas preparadas em frente aos clientes e assadas rapidamente atendem a demanda principal da noite. Aqui, foi utilizado o novo forno “Forza” da Prática.

8. Day part. Preparar o restaurante para vender produtos em todos os períodos. Assim, além da preparação de cardápios especiais para cada período do dia, o restaurante ganhou um painel conversível para ambientar os três principais momentos do dia: almoço, final da tarde e noite.

Os resultados
O restaurante piloto no Shopping Iguatemi serviu para aperfeiçoamentos do novo conceito e, após 4 meses de operação e acompanhamento dos indicadores financeiros e operacionais, a inovação foi aprovado pela IMC. Maior fluxo de clientes, novos consumidores e vendas durante todo o dia foram observados, atendendo aos objetivos iniciais do projeto.

A inovação já foi aplicada ao segundo restaurante da rede no Shopping Ibirapuera, também em São Paulo, inaugurado em dezembro de 2016.

O novo conceito do Viena Express passa a ser o padrão a ser aplicado às novas lojas da marca e para o programa de retrofit dos restaurantes existentes.

Serviço:
As novas unidades do Viena Express, até esta data, ficam localizados nas praças de alimentação dos shoppings Iguatemi e Ibirapuera em São Paulo. Está prevista para 2017 a reformulação de 12 restaurantes.

Ficha técnica:

Unidade: Restaurante Viena Express

Projeto de foodservice: Diris Petribú – Senior Member FCSI – Líder do projeto, João Carlos Faias, Eduardo Esteban e equipe do StudioIno

Projeto dos expositores de alimentos: Emmanuel Melo – Senior Member FCSI – Líder do projeto, equipe de design do StudioIno e a Ingecold, responsável pela fabricação

Cliente: International Meal Company – Imc
Equipe do cliente: Jaime Szulc, Pierre Berenstein, Regina Belelli, Juliana de Aguiar Oliveira e equipes Imc

Escopo do Projeto: Novo conceito e reformulação do Restaurante Viena Express

Arquitetos: Diris Petribú, Eduardo Esteban, João Carlos, Luisa Gambaro, Ana Luisa Cronemberger, Maria Wolf

Design de interior: StudioIno

Workshop e pesquisa inicial: DesignMuda e StudioIno

Construção: AS6 Construções e G&R Construções

Marcenaria: AFA Marcenaria

Fornecedor de Equipamentos: Macom/Hoshizak, Ingecold, Intellikit, Prática, Glasart, Melting

 

Siga o StudioIno no Facebook e no Instagram.

Acompanhe o StudioIno no Pinterest.

Saiba mais sobre o trabalho de design do StudioIno.

Saiba mais sobre o trabalho de arquitetura do StudioIno.

StudioIno oferece diferentes soluções em arquitetura, design e inovação para foodservice

Resumimos nossa atuação em uma frase: Completa experiência em foodservice.

Mas como esse trabalho funciona?

Contamos com três times.

Arquitetura e consultoria – A equipe de arquitetura utiliza uma metodologia própria e consagrada para desenvolver propostas inovadoras. Já entregamos inúmeros projetos de retrofit, back e front of the house, branding, gerenciamento de obras e novos conceitos. Os clientes do time de arquitetura são diferentes estabelecimentos de foodservice. Entre eles, restaurantes comerciais ou corporativos, hospitais, padarias, cafés e centrais de produção.

Baixe mais informações sobre nosso trabalho de arquitetura:

Arquitetura port

Material informativo em português sobre trabalho de arquitetura.

Arquitetura em ingles

Material informativo em inglês sobre trabalho de arquitetura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Design de produto e inovação O time de design foca em inovação e desenvolvimento de produtos para foodservice. Os projetos desta equipe já foram reconhecidos com diferente prêmios nacionais e internacionais. Entre eles, o Red Dot Award, uma das mais importantes premiações de design no mundo. Além da criação de novos produtos, a equipe do StudioIno trabalha ainda redesign, engenharia, pesquisa, e análise de oportunidades de mercado.

Baixe mais informações sobre nosso trabalho de design:

designingles

Material informativo em português sobre trabalho de design.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

designport

Material informativo em inglês sobre trabalho de design.

 

Cozinha colaborativa – Nosso terceiro time é o mais diverso. Na verdade, trabalhamos para que cada vez mais diferentes profissionais de variadas áreas participem também. O Hub FoodService é a nossa cozinha colaborativa. O espaço pode ser utilizado para eventos, treinamentos, aulas, por exemplo. Para negócios pequenos ou iniciantes, o Hub pode ser contratado como central de produção, reduzindo custos de operação.

Baixe mais informações sobre o Hub FoodService:

Folder hubfs port

Material informativo em português sobre a cozinha colaborativa.

hubingles

Material informativo em inglês sobre a cozinha colaborativa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4 insights que tive durante a Host 2015 em Milão

De 23 a 27 de outubro, estive em Milão, na Itália, para participar de um dos eventos mais importantes da indústria de foodservice, a Host. Em sua 38º edição, a feira internacional abarca os setores de alimentação, varejo, distribuição e o segmento hoteleiro.

Durante os dias que fui um dos mais de 150 mil visitantes de todo o mundo que participam da Host, observei tendências e tive insights interessantes. A seguir, divido com vocês, em um recorte particular, os quatro pontos principais que aprendi durante o evento.

1 – O protagonismo dos alimentos nos espaços de venda e consumo

Tendencias em cozinhas industriais

Nos novos conceitos de lojas de Foodservice, os alimentos prontos – frescos, orgânicos e sazonais, assumem, cada vez mais, a condição de protagonistas dos ambientes. Sejam nas lojas de ruas, aeroportos, shoppings e outros.

Tendencias em cozinhas industriais

A atmosfera dessas lojas adota os mercados populares, os empórios e as feiras livre como metáfora de seus conceitos. Novidade? Certamente não, mas é uma prática cada vez mais forte.

Tendencias em cozinhas industriais

Os consumidores gostam de ver os alimentos que irão consumir, mais que fotografias idealizadas em painéis de Led. A exposição dos alimentos é uma estratégia vitoriosa para aumentar as vendas. E isso é suficiente para que operadores adotem o conceito.

O desafio é contar com equipamentos que mantenham os alimentos nas temperaturas seguras e, ao mesmo tempo, aproximem e facilitem o acesso dos consumidores.

2- Equipamentos para exposição e venda dos alimentos

Tendencias em cozinhas industriais

Se o alimento é protagonista da cena no varejo de alimentos, o equipamento é coadjuvante. A atmosfera é a do empório. Então, nada de equipamentos modernosos e exibidos tentando roubar a cena.

Tendencias em cozinhas industriais

O conceito de design para esses expositores é o hide design, quando o equipamento se torna “invisível”. Outro conceito utilizado é o drop in, aqui os expositores podem ser encaixados em móveis de diversos materiais e com design coerente com a atmosfera da loja.

Tendencias em cozinhas industriais

Outro conceito consagrado é o Grab&Go, ou pegar e levar, em livre tradução. São expositores verticais abertos e que podem ser “envelopados” com o conceito da loja. Águas, sucos, saladas e sanduiches, por exemplo, ficam ao alcance do consumidor antes dos caixas.

A conservação dos alimentos entre +1oC à +5oC predomina e é recomendado pelas autoridades sanitárias.

3 – Preparação à vista do cliente

Tendencias em cozinhas industriais

Sanduiches e saladas expostos e preparados à vista do cliente no mesmo ambiente do consumo.

Tendencias em cozinhas industriais

Expositores com área de preparação para sushi. Tudo feito na frente do consumidor.

Tendencias em cozinhas industriais

Tendencias em cozinhas industriais

O tampo de preparo também é refrigerado.

Operadores energizam as áreas de distribuição e comunicam fortemente o frescor dos alimentos, além de personalizarem o serviço.

Fornos a carvão não são o que possa ser chamado de novo ou tecnológico. Na verdade, não têm controle eletrônico ou mesmo precisam de uma conexão elétrica para funcionar.

O tempo para a preparação dos grelhados é de três minutos e, com uma coifa apropriada para exaustão, os fornos podem ser colocados à vista dos clientes.

O equipamento trabalha até seis horas com uma única carga e reduz em 50% o consumo de carvão vegetal em relação a uma churrasqueira aberta. É preciso assegurar que o carvão seja de fonte sustentável e certificada.

Os fornos a carvão já se transformaram no equipamento “queridinho” dos grandes chefes de cozinha no mundo.

Mais preparação à vista do cliente:

Tendencias em cozinhas industriais

Ilhas de cocção monobloco personalizadas não são exatamente novidades na Host, mas agora são mais populares. Os principais fabricantes de equipamentos para cocção na Europa, agora incluem as ilhas monoblocos em seus portfólios.

O conceito é também aplicado para cafés, fabricação de cervejas artesanais e bebidas em geral. Construindo uma experiência de consumo muito valorizadas.

Tendencias em cozinhas industriais

Novamente, a segurança alimentar e o controle dos vapores e cheiros desafiam os designers. O cheiro de pão saindo do forno é desejado, mas ninguém espera chegar no escritório ou em casa com as roupas cheirando a churrasco.

Aspectos visuais, funcionais e acabamentos dos equipamentos em cozinhas abertas são pontos importantes na escolha dos equipamentos.

4 – Componentes para melhorar desempenho, eficiência e segurança

Tendencias em cozinhas industriais

Tendencias em cozinhas industriais

Na Host 2015, observei os principais fornecedores de componentes para equipamentos de Foodservice.

Queimadores, válvulas para controle de gás, aquecimento elétrico e sistemas eletrônicos, além de acessórios para equipamentos de refrigeração, distribuição de alimentos, expositores refrigerados e aquecidos, mobiliário neutros de aço, serviços de estampagem, corte e dobra de aço inoxidável e outros.

A utilização de componentes de melhor qualidade representa uma ótima oportunidade para a engenharia e design dos equipamentos fabricados no Brasil.

Copiar ainda é a pior estratégia

Para finalizar, chamo atenção para um aspecto óbvio, porém, muitas vezes negligenciado: cardápios, formas de preparação, operadores e consumidores são os parâmetros que validam a qualidade dos equipamentos de Foodservice e são fatores culturais e específicos de cada país ou região.

Desempenho, produtividade, precisão e confiabilidade são parâmetros técnico que somente podem ser medidos a partir dos aspectos culturais listados acima.

Com isso, quero dizer que equipamentos projetados para os hábitos de preparação e operação da Europa e também dos EUA, não são necessariamente adequados ao uso no Brasil e América latina. Conhecemos diversas experiências que compravam essa afirmação.

Não que esses equipamentos não tenham qualidade, muito pelo contrário, mas foram definidos para o atendimento de aspectos culturais de suas regiões. Simplesmente copiar os equipamentos de outras culturas é a pior estratégia a ser adotada.

Os fabricantes brasileiros continuam tendo excelentes oportunidades no mercado interno e na América Latina. Mas, precisam melhorar a qualidade de seus equipamentos (mais design e mais engenharia!) para serem competitivos e ganharem o respeito dos consumidores.

 

Emmanuel Melo

Diretor do StudioIno e do Hub FoodService

 

Para saber mais sobre:

Host

StudioIno

Hub Foodservice